Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cozinha Verde

A Cozinha Verde, da autoria de Filipa Range, tem como principal missão inspirar os portugueses a adotar hábitos alimentares mais saudáveis, ecológicos e compassivos, através da cozinha vegan.

Qua | 12.09.18

Barras energéticas de noz, damasco e sementes de abóbora | Como eliminar o vício do açúcar e produtos processados?

IMG_4803 (1).JPG

 

Depois da semana passada vos ter falado de consciência alimentar e ter partilhado uma receita que foge bastante ao meu padrão alimentar, esta semana regressamos à rotina da alimentação saudável. 

Uma das coisas que me deu mais luta quando decidi mudar a minha alimentação foi eliminar as bolachas, barritas, cereais e outros snacks industrializados da minha rotina diária. Durante muitos anos, o meu pequeno-almoço preferido era Chocapic com leite. Era bem capaz de devorar meio pacote daqueles cereais enquanto via um filme ou estudava para um exame. Com as bolachas o caso era semelhante, não descansava enquanto não via o fim da embalagem.

Se desse lado se identificam com a minha partilha, quero dizer-vos que é perfeitamente normal que isso aconteça. A grande maioria deste tipo de produtos tem como ingrediente principal o açúcar refinado. Ao ingeri-los, dá-se imediatamente um pico de açúcar no nosso sangue, que quebra logo de seguida e faz com que não nos consigamos sentir saciados. Este tipo de açúcar não tem qualquer valor nutricional, fornece calorias vazias, de absorção rápida, e pode causar problemas metabólicos como obesidade, colesterol alto, hipertensão e níveis elevados de glicemia e insulina.

Mas o perigo associado ao consumo destes produtos não se fica apenas pela adição do açúcar. As farinhas refinadas (também elas ricas em açúcares simples e desprovidas de valor nutricional), os óleos alimentares refinados (altamente inflamatórios para o nosso organismo), os corantes e aromas artificiais, os conservantes, os intensificadores de sabor... Esta é a composição base da maioria das bolachas, bolos, cereais e barras industrializadas do mercado e trazem consequências nefastas para a nossa saúde, principalmente se forem consumidos com regularidade. E sim, eles são altamente viciantes e fazem-nos entrar num ciclo vicioso, aumentando o apetite por este tipo de produtos.

 

Mas então, a que tipo de alternativas podemos recorrer para resistir aos bolos, bolachas, cereais de pequeno-almoço e outros produtos industrializados?

 

IMG_4809 (1).JPG

 

De forma muito sucinta, devemos priveligiar o consumo de alimentos verdadeiramente saciantes, ricos em fibra, água e equilibrados do ponto de vista macro e micro nutricional. Como os frutos secos e as sementes (ricos em ácidos gordos essenciais) e as frutas, que apesar de serem compostas por açúcares de absorção rápida, contém fibras que ajudam à digestão e aumentam a saciedade. 

 

As barras caseiras (como esta que hoje vos trago), são uma excelente opção para substituir os produtos que referi acima. São saciantes, doces e têm um elevado valor nutricional. Podem fazê-las em maior quantidade e congelar, para terem sempre por perto. Outra grande vantagem destas barras é que podem ser personalizadas consoante o vosso gosto, já que permitem um sem fim de adaptações. 

  

 

Barras energéticas de noz, damasco e sementes de abóbora

Sem açúcares refinados, sem glúten, cru
Faz 15 unidades
Tempo de preparação: 10 min
Tempo de espera: 1 hora

 

Ingredientes

1/2 chávena (cup) de nozes

1/2 chávena (cup) de cajus sem sal
1/2 chávena (cup) de damascos secos 
1 + 1/4 chávena (cup) tâmaras
Canela moída q.b.
Sementes de abóbora q.b.

Topping: flocos de coco e nozes partidas

 

Preparação:

Num processador, adicione as nozes e os cajus e triture por uns segundos até obter uma farinha grossa. Adicione os restantes ingredientes (à exceção dos toppings) e triture novamente, até tudo estar bem ligado.


Transfira a mistura para uma forma, previamente forrada com papel vegetal.  Pressione com os dedos até a massa ficar espalhada de forma uniforme por toda a forma.

Leve ao frigorífico para ganhar firmeza. Depois, corte as barrinhas do tamanho pretendido e adicione os seus toppings preferidos!

 

Dica: congele estas barrinhas individualmente para ter um snack nutritivo e delicioso sempre à mão! 

 

IMG_4771 (3).JPG

 

Gostaram do conteúdo deste post? Ficaram com vontade de experimentar a receita? Partilhem o vosso feedback nos comentários. :)

 

Até breve!

Qua | 05.09.18

Bolo de bolacha vegan (provavelmente a receita menos saudável que já publiquei)

20180904_172801.jpg

 

Introdução

Este post começa com uma pequena história. Quando era miúda o bolo de bolacha era uma das minhas sobremesas preferidas. Mas não um bolo de bolacha qualquer, tinha de ser o da minha mãe. Cresci a vê-la fazer este bolo em casa, e adorava ajudar na sua preparação. Quando saí de casa, levei a receita comigo e esta foi das primeiras sobremesas que fiz sozinha. Tenho por isso um carinho especial por esta receita. 

 

Esta introdução serve de ponte para o tema que vou abordar neste post: a consciência alimentar

 

Consciência Alimentar 

Através d'A Cozinha Verde, promovo e defendo a alimentação vegan saudável. O meu objetivo principal é mostrar que uma alimentação sem ingredientes de origem animal, desde que bem planeada, apresenta inúmeros benefícios para a nossa saúde e bem-estar. Não defendo o consumo de produtos de origem animal, de produtos demasiado processados e refinados, de gorduras trans e hidrogenadas e de açúcares refinados, por exemplo. Conheço os vários benefícios de uma alimentação 100% vegetal saudável e sei distinguir um bom de um mau produto ao olhar para a lista de ingredientes. De forma geral, interesso-me por temas relacionados com alimentação e nutrição, estou atenta aos novos estudos, às modas, às tendências e ao mercado. Apesar de não ser nenhuma expert na área, tenho sentido crítico e debruço-me muito sobre um tema até formar a minha opinião. 

Posto isto, seria de esperar que na minha alimentação só entrassem ingredientes saudáveis, certo? Embora a maioria da minha ingestão calórica diária seja feita com alimentos saudáveis, por vezes sinto vontade de comer aquilo que sei que não me faz especialmente bem.

Há uns dias fiz este bolo de bolacha e apeteceu-me imediatamente fotografá-lo de tão bonito que ficou. Já não me lembrava sequer da última vez que o tinha feito.

Ainda levei uns minutos a pensar se deveria ou não partilhá-lo com vocês. Afinal, este blogue é de receitas saudáveis, o meu livro idem, e todo o meu trabalho anda de mãos dadas com a alimentação (vegan) saudável. 

No entanto, decidi aproveitar este momento para partilhar esta pequena reflexão com vocês. Apesar da receita de hoje não representar aquilo que costumo divulgar, representa a minha realidade. E a realidade é que, tal como muitos de vocês, também eu saio fora do meu padrão alimentar normal em alguns momentos. Seja porque é "dia de festa" ou porque simplesmente me apetece, a verdade é que esses momentos acontecem. E não há nada de errado nisso. 

20180904_172523.jpg

Webp.net-gifmaker (2).gif

Podem ser vários os motivos que nos levam a comer alimentos não saudáveis. O desconhecimento, a preguiça, as emoções e as memórias são um bom exemplo. E foram as memórias que tenho ligadas a este bolo que despoletaram uma enorme vontade interior de o fazer. E quando isto acontece, permito-me comer sem culpas e sem julgamentos. A isto chamo de consciência alimentar. Termos o conhecimento suficiente para fazer escolhas conscientes. Saber sempre o que estamos a comer. Distinguir o ato de nutrir e alimentar da gula. Porque sim, a grande maioria de nós tem noção que o açúcar (entre outros) não alimenta ninguém. :) O segredo está no equilibrio. 

 

 

Bolo de bolacha vegan 

Tempo de preparação: 30 minutos

Faz 1 bolo miniatura (temos de controlar a gula, não é?:))

 

Ingredientes

1 pacote de "bolacha maria" vegan (usei integral)

1 chavena (cup) de café quente

100gr creme vegetal para barrar (sem óleos hidrogenados) 

70gr açúcar amarelo

Pepitas de cacau cru para o topping

 

Preparação

Bata o creme vegetal (à temperatura ambiente) com o açúcar amarelo, até formar um creme. 

Prepare o café bem forte e adicione uma pequena parte (2 a 4 colheres de sopa) ao creme. Misture e reserve.

Num prato, disponha uma camada de bolachas embebidas no café quente e espalhe uma porção de creme por cima. Repita o processo até terminar.

Finalize com pepitas de cacau cru no topo do bolo e leve ao frigorífico até servir.

 

Espero que tenham gostado desta partilha e que se deliciem com este bolo de bolacha! :)

 

Até breve!